pesa-nervos


Look back in anger

 

de Carlos de Oliveira

 

 

Podia ser a névoa habitual da noite, os charcos cintilantes, o luar trazido por um golpe de vento às trincheiras da Flandres, mas não era. Quando acordou mais tarde num hospital da retaguarda, ensinaram-no a respirar de novo. Lentas infiltrações de oxigênio poroso, durante anos e anos, até à imobilidade pulmonar das estátuas.

 

Hoje, um dos seus filhos sobe ao terraço mais obscuro da cidade em que vive e olha o passado com rancor. O sangue bate, gota a gota, na pedra hereditária dos brônquios e ele sabe que é o mar contra os rochedos, a pulsação difícil das algas ou dos soldados mortos nessa noite da Flandres.

 

As imagens latentes, penso eu, porque sou eu o homem na armadilha do terraço difuso, entrego-as às palavras como se entrega um filme aos sais de prata. Quer dizer: numa pura suspensão de cristais, revelo a minha vida.

 

 

[poema que abre Sobre o lado esquerdo, livro de 1968]



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 18h14
[   ] [ envie esta mensagem ]




 

O porco-espinho

(o dia em que Soledad partiu pra o Peru)

 

de Antonio Cisneros

 

Foi um avião holandês de meio-dia.

Acompanhamos seu vôo até que se perdeu

como uma flecha contra o sol.

 

Essa noite vimos o porco-espinho.

Um porco-espinho nas colinas de Budapeste.

Pequeno e peludo, olhava-nos por trás de um loureiro rosa.

O primeiro porco-espinho de nossas vidas.

Seu pequeno focinho doce e melado

era o rosto final de Soledad.

Olhava-nos com os olhos de boliche que olhavam

as nuvens do oceano em um avião holandês.

E foi tudo.

Depois fugiu entre o mato alto.

Assustado.

 

[do livro Sete pragas depois, traduzido por Carlito Azevedo e Aníbal Cristobo, publicado na coleção Ás de colete, das editoras 7Letras e Cosac & Naify, em 2003].



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 18h25
[   ] [ envie esta mensagem ]




MUDARAM AS ESTAÇÕES, MAS NADA MUDOU – por Rodrigo de Souza Leão.

 

Pelo correr da carruagem não vamos ver nada de novo no FESTIVAL DE MÚSICA DA REDE CULTURA. É que até agora – passadas duas das quatro edições do programa – não teve nada, a não ser a bela organização e cobertura do evento, que me chamasse atenção. Nada mesmo. Parece que os tempos não são muito bons para música ou as pessoas que escolheram as canções preferiram fazer uma média com alguns ritmos pouco contemplados pela mídia. Gostaram da média e mídia? Assim tem um pouco de tudo, o que agrada a gregos, troianos, mas a mim não. Claro que não se pode dizer que os músicos não têm qualidade e a música idem, mas é tudo um grande tédio. Mesmice. Música chata. Arranjada de forma chata. Cantada de forma chata. Um desfile do óbvio. Até as bandas escolhidas que fazem fusão de ritmos, o fazem de uma maneira já feita. Imitam. Será que não há nada de novo? Será que tudo é tão chato assim? Por enquanto ninguém merece o prêmio de melhor. Todos são perdedores. E olha, posso falar, pois não mandei nenhuma das minhas músicas para participar do festival e não fui rejeitado pela comissão que escolheu as canções. Vamos continuar ouvindo Chitão e Xororó por muito tempo ainda. Triste, como é triste a realidade. Hoje é quarta. Vai ter outra eliminatória. Veja mais no sítio  http://www.tvcultura.com.br/



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 18h13
[   ] [ envie esta mensagem ]




pernambucano paulistano – de Frederico Barbosa

 

cada são paulo a que retorno

toca tanto que é ruim

 

na marginal eu quase choro

só porque me sinto vir

 

pernambucano paulistano

como tantos por aqui

 

tenho-a minha toda e tanto

que não a posso possuir

 

[do livro brasibraseiro, escrito em co-autoria com Antonio Risério, indicado ao prêmio Jabuti este ano].

 



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 20h51
[   ] [ envie esta mensagem ]




Teatro ambulante – de Duda Machado

 

Há três anos, representavam a mesma peça. O sucesso era tão grande e tantos os pedidos vindos de cidades do interior, que resolveram excursionar. Mas as viagens, ao contrário do que esperavam, iam acentuando ainda mais o cansaço e a rotina daquelas representações sempre idênticas. Para aliviar-se, os atores foram aumentando cada vez mais os trechos improvisados até que, pouco a pouco, a história e as personagens começaram a se alterar. Por fim, a peça se transformou. Mas a platéia não dava mostras de reparar naquela completa mudança. Ninguém reclamava e o publico aceitava entusiasmado o outro drama representado e a presença daqueles atores famosos. Estes sentiam-se revigorados e o segredo da metamorfose atuava como um pacto a fortalecer a ligação entre eles.

Uma noite, passado algum tempo, sem que pudessem compreender ou controlar o que acontecia no palco, as palavras e os gestos que executavam começaram a tornar-se alheios, irreconhecíveis. No segundo ato, todo o elenco estava assustado e atordoado. No entanto, no momento de cada réplica ou ação, o pânico desaparecia. Terminado o espetáculo, o publico aplaudiu como o entusiasmo de sempre. Nos camarins, os atores mal conseguiam se entreolhar. Só mais tarde quando jantavam no restaurante do hotel, é que se sentiram capazes de reconhecer com excitação que haviam seguido diálogo por diálogo, cena por cena, a peça original, abandonada tempo atrás.

 

[do livro Crescente (1977-1990), publicado na coleção Claro enigma, Livraria Duas Cidades, São Paulo].



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 18h04
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  02/04/2006 a 08/04/2006
  26/03/2006 a 01/04/2006
  19/03/2006 a 25/03/2006
  12/03/2006 a 18/03/2006
  05/03/2006 a 11/03/2006
  26/02/2006 a 04/03/2006
  19/02/2006 a 25/02/2006
  12/02/2006 a 18/02/2006
  05/02/2006 a 11/02/2006
  29/01/2006 a 04/02/2006
  22/01/2006 a 28/01/2006
  15/01/2006 a 21/01/2006
  08/01/2006 a 14/01/2006
  01/01/2006 a 07/01/2006
  25/12/2005 a 31/12/2005
  18/12/2005 a 24/12/2005
  11/12/2005 a 17/12/2005
  04/12/2005 a 10/12/2005
  27/11/2005 a 03/12/2005
  20/11/2005 a 26/11/2005
  13/11/2005 a 19/11/2005
  06/11/2005 a 12/11/2005
  30/10/2005 a 05/11/2005
  23/10/2005 a 29/10/2005
  16/10/2005 a 22/10/2005
  09/10/2005 a 15/10/2005
  02/10/2005 a 08/10/2005
  25/09/2005 a 01/10/2005
  18/09/2005 a 24/09/2005
  11/09/2005 a 17/09/2005
  04/09/2005 a 10/09/2005
  28/08/2005 a 03/09/2005
  21/08/2005 a 27/08/2005
  14/08/2005 a 20/08/2005
  07/08/2005 a 13/08/2005
  31/07/2005 a 06/08/2005
  24/07/2005 a 30/07/2005
  17/07/2005 a 23/07/2005
  10/07/2005 a 16/07/2005
  03/07/2005 a 09/07/2005
  26/06/2005 a 02/07/2005
  19/06/2005 a 25/06/2005
  12/06/2005 a 18/06/2005
  05/06/2005 a 11/06/2005
  29/05/2005 a 04/06/2005
  22/05/2005 a 28/05/2005
  15/05/2005 a 21/05/2005
  08/05/2005 a 14/05/2005
  01/05/2005 a 07/05/2005
  24/04/2005 a 30/04/2005
  17/04/2005 a 23/04/2005


Votação
  Dê uma nota para meu blog