pesa-nervos


Poema de Vasco Graça Moura

 

 

com pedaços de fita adesiva, cola-se
ao tapume este retrato de menina,
de luz contente nos olhos, quente enlevo
do afago dos pais, sorriso de olhar barcos
e de brincar na areia, ao sol, entre as palmeiras
balouçando ao vento, escrito à mão:
«o corpo foi encontrado»
. inútil
continuar a procurar alexandra-anita brauner.
menina e moça a levaram, de casa de seus pais,
para longes águas.

 

 

 

[do livro Laocoonte, rimas várias, andamentos graves, Lisboa: Quetzal Editores, 2005.]

 

 

 



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 16h02
[   ] [ envie esta mensagem ]




“Primeiro delírio” do ainda inédito Todos os cachorros são azuis

de Rodrigo de Souza Leão

 

Engoli um chip ontem. Danei-me a falar sobre o sistema que me cerca. Havia um eletrodo em minha testa, não sei se engoli o eletrodo também junto com o chip. Os cavalos estavam galopando. Menos o cavalo marinho que nadava no aquário.

Ele tem um problema mental. Será que tem alguma seqüela? No fundo deste meu mundo, lá no quarto escurecido por doses de Litrisan veio um psiquiatra e baionetou uma química na minha celha esquerda. Enquanto outro puxava a minha banha, esticando e esticando para que não sentisse a injeção de Bezetacil.

Bezeta.

Bezeta.

Uma dor na bunda imensa. Tudo girando ao meu redor e eu girando também. Tiro uma meleca e coloco na mesa do canto, bem longe da escuridão no quarto. A escuridão é acética. Só o pessoal de branco pode freqüentar aquela linha impura. Seguram-me de novo. Recebo o beijo de minha mãe. Deve ser dia de visita. Acordo e como uma lasca de goiabada com o sanduíche de atum que mamãe trouxe para mim. Escuto uma música tão alta que não entro nos meus pensamentos e estou fora, agora a cocaína não vai chegar. A conexão foi interrompida.

 



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 15h55
[   ] [ envie esta mensagem ]




As árvores – por Arnaldo Antunes

 

As árvores são fáceis de achar. Ficam plantadas no chão. Mamam do sol pelas folhas e pela terra bebem água. Cantam no vento e recebem a chuva de galhos abertos. Há as que dão frutas e as que dão frutos. As de copa larga e as que habitam esquilos. As que chovem depois da chuva, as cabeludas. As mais jovens; mudas. As árvores ficam paradas. Uma a uma enfileiradas na alameda. Crescem para cima, como as pessoas. Mas nunca se deitam. O céu aceitam. Crescem como as pessoas, mas não são soltas nos passos. São maiores mas ocupam menos espaço.

 

[do livro As coisas, publicado em 1998 pela editora Iluminuras]

 



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 16h38
[   ] [ envie esta mensagem ]




Uma canção só – por Franklin Alves

 

Não há vogais a mais no silêncio; uma canção ou duas. Uma sobre os poetas, outra, sobre a poesia. A primeira de Maiakovski, a segunda de Jean-Luc Nancy. Enfim, duas canções que não são apenas canções baratas:

 

1. “Eu não forneço nenhum regra para que uma pessoa se torne poeta e escreva versos. E, em geral, tais regras não existem. Chama-se poeta justamente o homem que cria estas regras poéticas”.

 

2. “A poesia é, por essência, mais do que e algo diferente da própria poesia, Ou antes: a própria poesia pode perfeitamente encontrar-se onde não existe propriamente poesia. Ela pode mesmo ser o contrário ou a rejeição da poesia, e de toda a poesia. A poesia não coincide consigo mesma: talvez seja essa não-coincidência, essa impropriedade substancial, aquilo que faz propriamente a poesia”.



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 16h22
[   ] [ envie esta mensagem ]




Algum dia você poderia?

de Maiakovski

 

Manchei o mapa quotidiano

jogando-lhe a tinta de um frasco

e mostrei oblíquas num prato

as maçãs do rosto do oceano.

 

Nas escamas de um peixe de estanho

li lábios novos chamando.

 

E você? Poderia

algum dia

por seu turno tocar um noturno

louco na flauta dos esgotos?

 

1913

 

[Tradução de Haroldo de Campos. A imagem de Maiakovski foi duplicada e triplicada pela equipe do Pesa-Nervos]

 



Escrito por Leão Alves Gandolfi às 14h12
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  02/04/2006 a 08/04/2006
  26/03/2006 a 01/04/2006
  19/03/2006 a 25/03/2006
  12/03/2006 a 18/03/2006
  05/03/2006 a 11/03/2006
  26/02/2006 a 04/03/2006
  19/02/2006 a 25/02/2006
  12/02/2006 a 18/02/2006
  05/02/2006 a 11/02/2006
  29/01/2006 a 04/02/2006
  22/01/2006 a 28/01/2006
  15/01/2006 a 21/01/2006
  08/01/2006 a 14/01/2006
  01/01/2006 a 07/01/2006
  25/12/2005 a 31/12/2005
  18/12/2005 a 24/12/2005
  11/12/2005 a 17/12/2005
  04/12/2005 a 10/12/2005
  27/11/2005 a 03/12/2005
  20/11/2005 a 26/11/2005
  13/11/2005 a 19/11/2005
  06/11/2005 a 12/11/2005
  30/10/2005 a 05/11/2005
  23/10/2005 a 29/10/2005
  16/10/2005 a 22/10/2005
  09/10/2005 a 15/10/2005
  02/10/2005 a 08/10/2005
  25/09/2005 a 01/10/2005
  18/09/2005 a 24/09/2005
  11/09/2005 a 17/09/2005
  04/09/2005 a 10/09/2005
  28/08/2005 a 03/09/2005
  21/08/2005 a 27/08/2005
  14/08/2005 a 20/08/2005
  07/08/2005 a 13/08/2005
  31/07/2005 a 06/08/2005
  24/07/2005 a 30/07/2005
  17/07/2005 a 23/07/2005
  10/07/2005 a 16/07/2005
  03/07/2005 a 09/07/2005
  26/06/2005 a 02/07/2005
  19/06/2005 a 25/06/2005
  12/06/2005 a 18/06/2005
  05/06/2005 a 11/06/2005
  29/05/2005 a 04/06/2005
  22/05/2005 a 28/05/2005
  15/05/2005 a 21/05/2005
  08/05/2005 a 14/05/2005
  01/05/2005 a 07/05/2005
  24/04/2005 a 30/04/2005
  17/04/2005 a 23/04/2005


Votação
  Dê uma nota para meu blog